sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Surf Circus


Senhoras e senhores, meninas, meninos e excelências:
   O show está (quase) a (re)começar. As tendas estão armadas e os staffs já controlam os palcos.
   Venham de lá as boas ondas, que os equilibristas, os malabaristas e os mágicos do surf vêm aí, de todo o mundo.
    E, para que o espectáculo se complete, até há palhaços: uns penicheiros que acreditam em nomes sonantes comercialmente envolvidos nestes eventos e, depois, andam um ano (até ver) há espera do acerto das contas...
    Mas, estas, são contas de outro rosário!
    Venha de lá a Festa, que a gente bem dela precisa!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Quem me dera voar

... nem que fosse só por instantes, assim, em full screen!

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

As barr(a)(i)cadas revolucionárias

Costumo dizer que o meu primeiro encontro com o Portugal de Abril foi em Setembro, mais precisamente em 28 de Setembro de 1974 - o dia em que regressei da Guiné.
Até então, a "revolução dos cravos" - com o fim da guerra colonial, tinha-me  APENAS recuperado para a vida, ou, melhor, tinha posto fim à minha morte anunciada.
Depois de ter vivido cinco meses num ambiente em que ex-inimigos  enterravam ódios antigos procurando entender-se, foi-me difícil perceber, logo no dia que cheguei à mãe-pátria, como ex-amigos, pela suspeição, denuncia gratuita e provocação se hostilizavam mutuamente, criando novos ódios.
A viagem desde o aeroporto da Portela no carro da família tinha corrido sem incidentes, mas quando, cerca das dez da noite, cheguei a uns cinquenta metros dos portões de Peniche-de-cima fui barrado por duas lanchas atravessadas na estrada e uma pequena comissão de conhecidos penicheiros, civis e militares, revolucionários (naquele tempo, quem não era?) que me convidaram a saír do automóvel, a abrir o porta-bagagens e as duas malas de viagem que trazia de Bissau.
Apesar de nos termos reconhecido (fôramos colegas de escolas) e de lhes ter explicado porque vinha fardado e donde vinha, o facto de trazer comigo 3 balas de G3, uma faca de mato, uma catana e um punhal de kalashnikov foi motivo para ofensas e ameaças de dois grandes revolucionários desta terra - profissão que adoptaram até hoje. Valeu na altura o aparecimento de um graduado  militar que, depois de me fazer a devida(?) saudação militar, ouviu a minha versão, deu-me um abraço e mandou que a barricada me deixasse ir em paz.
E fui, até hoje!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Golfe in Portugal


É o novo desporto nacional... e, de buraco em buraco, continuaremos até que o país seja um autêntico buraco negro.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

The special one, two, three, four ...

Por este caminho, daqui a pouco lanço uma petição para exigir que este homem venha "treinar" o Estado Português! (e, se quiser, pode trazer o Cris para as Finanças... por mim, já vale tudo!)

domingo, 25 de setembro de 2011

sábado, 24 de setembro de 2011

Nomes (e amores) com história







Pedro e Inês - uma nova, linda e esperançosa versão hoje actualizada.

 

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Empregos de trabalho

 Tenho para mim que, por óbvias razões partidárias, a consciência de classe, imediata e naturalmente obtida  pelos trabalhadores pós-25 de Abril, foi mal cultivada no meio sindical português.
Essa má educação terá contribuído (embora parcialmente) para um dos meus grandes desgostos ideológicos: verificar, na prática, que a rentabilidade de uma empresa explorada pelo Estado nunca é igual (nem sequer parecida) à da sua exploração privada.
Constatar a falência teórica da distribuição dos proveitos pelo colectivo, piorada  com a subsidio-dependência do Estado patrão, foi um processo muito custoso, sobretudo quando, a gestão privada das mesmas empresas provou, rapidamente, as suas virtudes, alcançando sempre lucros distribuíveis por "meia dúzia" de accionistas.
Esta casualidade, ao longo dos últimos 35 anos, fez com que o tecido privado da economia portuguesa, à medida que (re)conquistava empresas públicas,  absorvesse muita daquela mão-de-obra viciada que todos nós conhecemos e que o patronato sempre usa para justificar os seus fracassos económicos,  muitos deles com origem na ganância e no seu baixo nível empresarial.
Ora, como esta relação de amor-ódio vem ao de cima sempre que as partes tentam concertar-se, com o patrocínio governativo, desta vez, parece que a balança tende fortemente para o sítio do costume...

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Patrocínios à vista desarmada

A área dos patrocínios no mundo da publicidade tem muito que se lhe diga - tanto quanto o que muitas vezes não se pode dizer. 
Dúvidas?
O senhor TED de hoje, o realizador Morgan Spurlock, esclarece. 


terça-feira, 20 de setembro de 2011

As armas e os barões

Com a recente publicação da lista dos organismos estatais que vão ser extintos/fundidos com que governo avança para o seu programa de reforma do Estado, a malta até pode acreditar que esta (aparente) aplaudível decisão fará reduzir substancialmente a despesa da Nação, ao mesmo tempo que golpeia o nacional-tachismo-partidário.
Só que... só que, Lavoisier há muito que também influencia  as regras da política e eliminar 142 organismos criando 26 pode não significar tamanha redução dos gastos do Estado como está a saír da cartola governativa.
Curioso, ainda, é a extinção de apenas um organismo (Controlador Financeiro) no Ministério da Defesa Nacional. Aqui,  quem - como eu e a maioria da minha geração - (sobre)viveu naquele sistema sempre adverso a alterações de organograma, percebe facilmente a força da G3 e o poder de quem a empunha, aliás, de quem a manda empunhar.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Virtualidades

Este Coro Virtual regido à distância por Eric Whitacre, apresenta performances 2052 de  1752 cantores de 58 países, individualmente gravados e enviados para o YouTube, entre setembro de 2010 e janeiro de 2011.
Embora não seja um trabalho eletrónico, trata-se de um grande exemplo usando a Internet como uma "plataforma colaborativa de fazer coisas aparentemente impossíveis ou impraticaveis".

domingo, 18 de setembro de 2011

A mula da cooperativa


Depois de aqui se ver o que a maioria dos madeirenses vêem ao seu Alberto João, fácil é perceber a sua impunidade política aos olhos de quem o elege(u). 
Não tão fácil assim, é deixar que, perante este desencanto madeirense, essa impunidade atravesse o Atlântico e engrosse outras tantas que deram cabo deste país.
Entretanto, espectável é que tudo isto leve à sua canonização no off-shore Chão da Lagoa; surpresa, surpresa será nós (os bastardos do continente - como ele gosta de nos chamar) não termos de pagar os desvarios da sua cooperativa.

 

sábado, 17 de setembro de 2011

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

A bela de S. Bento

 

"A beleza ideal está na simplicidade calma e serena". (Goethe)



E, há poucos dias, foi nesta entrevista à Antena 1, que me apercebi de quanto é bela a actual presidente da Assembleia da República - Assunção Esteves.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Yessssssss!!!

(Clicar Imagem)

Assim se vê a força do PCP

(ou como se esvazia uma iniciativa política)

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

... e o pirata sou eu!?

É uma versão possível sobre os Piratas Somalis e as suas motivações.
Entre esta história e a que nos é contada diariamente pela imprensa, venha o dito cujo e escolha.
Acredite-se ou não, imaginemos o que seriamos capazes de fazer se andassem a substituir o (pouco) peixe que há no nosso mar  por lixo industrial e nuclear. 

terça-feira, 13 de setembro de 2011

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Lixado

De acordo com a factura/recibo dos Serviços Municipalizados de Peniche, a minha comparticipação mensal para a recolha de lixo ronda os 6 €uros.
Diariamente, separo o lixo caseiro em conformidade com as regras para  a sua reciclagem e deposito-o nos locais apropriados.
Diariamente, também, verifico que ainda há muitos munícipes aqui à minha volta que despejam no tradicional "caixote  verde" toda a lixaria que fazem por casa, sem qualqyer cuidado ou selecção.
Provavelmente, estes vizinhos/infractores, até pagarão menos conta de resíduos que eu e outros cumpridores desta zona habitacional.
Não sei quem ganha - em €uros - com a reciclagem do lixo, eventualmente  este serviço municipal amortizará despesa. 
Mas, neste caso, quem mais recicla, mais paga e não está a ser cumprida a regra do poluidor =» pagador. 
Esta subversão passará, fundamentalmente, por uma questão de educação e cidadania, mas um pouco mais de vigilância pedagógica não custaria muito  a quem compete esta matéria.
Ganhávamos todos, justamente... 

domingo, 11 de setembro de 2011

Braga e os "Pês"

O conhecido slogan "terra dos 3 pês" - maliciosamente atribuído à cidade de Braga - mereceu hoje o acréscimo de mais um P, concluído que está o XVIII Congresso do Partido Socialista.
Promessas - é (sempre) o que resulta destes encontros, depois de lambidas as feridas, exortado o passado, (re)viradas muitas casacas.
Valha o discurso de encerramento do secretário-geral. Seguro, numa verdadeira posição de estadista criticou duramente a gestão avulsa, tipo merceeiro, da UE e deixou propostas claras para salvaguardar o Futuro da Europa, contrariando a eterna subserviência portuguesa.
O resto...

sábado, 10 de setembro de 2011

Montanhas (d)e ratos

Vamos lá ver o que vai parir esta montanha...

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

As rotundas do Fua

É uma "fuequice", eu sei.
Mas, comparando com o que por cá existe, se calhar, não ficava nada mal...

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

O pé de Passos

Clicar na  Imagem

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Fotografar a vida

O fotógrafo Nicholas Nixon é responsável por esta compilação de fotos bastante curiosa feita desde 1975, ao fotografar quatro irmãs com a intenção de mostrar como o tempo age sobre nosso corpo.
As imagens, em preto e branco, mostram as irmãs que tinham de 15 a 25 anos. A mais velha delas, Bebe, é esposa do fotógrafo.
Mais do que a forma como envelheceram, é curioso perceber, através da linguagem corporal, a forma como as relações entre elas se foram alterando.


terça-feira, 6 de setembro de 2011

IVG - Imposto de Valor Gaspariano


Os tempos são de crítica, é certo. Mas hoje não me arrisco a ridicularizar (se bem que me apeteça) o bastonário da Ordem dos Médicos, por defender a criação de um imposto sobre a fast-food e  outro lixo alimentar destinado ao financiamento do Serviço Nacional de Saúde.
A gratuitidade destas e de outras sugestões deste género, ainda que vindas da intelectualidade com responsabilidades neste país, às vezes, faz-me doer a alma e a, quase, desanimar. A não ser que lhe prestemos atenção, apenas  como se fosse uma descarga do imaginário de quem, em tempos de crise(s), se diverte … divertindo-nos.
Ah, mas aqui (também) entro eu! E que tal criar-se um imposto sobre   a utilização da internet? Só a dois euros cada utilizador, daria qualquer coisa como dez milhões de euros por mês…
E, se a este imposto, juntassem a receita dos (novos) impostos sobre a sueca, o não-te-irrites, as raspadinhas e o sexo fora (da relação, de casa, de horas, etc.) ?

Dava jeito, não dava, doutor Gaspar?

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Demoniocracia

 


Há uns tempos atrás, D. Manuela já tinha dado a ideia.


Estamos aqui, estamos lá...(outra vez) !  

domingo, 4 de setembro de 2011

... e (como) ela gosta !

(clique na imagem para ampliar)

sábado, 3 de setembro de 2011

A crise e (+) uma das razões (à direita)

Sobre  o(s) Poder(es) a Constituição e a crise Portuguesa, há pouco menos de dois meses, António Barreto opinou assim:


Hoje reforça a sua opinião, defendendo mesmo a urgência de uma nova Constituição da República. 
===========================================================================================================
“O socialismo é a filosofia do fracasso, o credo da ignorância e o evangelho da inveja.  A sua virtude inerente é a divisão igualitária da miséria.” (Winston Churchill)
===========================================================================================================

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Paesi di merda




Depois deste desabafo d' il signori Berlusconi, espero bem que o nosso mne. Paulinho lhe abra as Portas da nossa feira e convide o homem a montar a tenda por cá.

Pelo menos não vai estranhar - o clima, as gentes e o resto...

quinta-feira, 1 de setembro de 2011