domingo, 31 de janeiro de 2016

sábado, 30 de janeiro de 2016

Cara do das caldas


Por causa do anúncio que publico, lembrei-me de um colega de escola recém chegado à turma se ter zangado comigo por causa deste episódio:
- Opah tu és das Caldas?
- Não. Porquê?
- É que tens mesmo cara disso!
Clikimagem

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

A casa do sol poente

Tão bom que até faz doer...

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Hidrogozadera

Dedicado à Rita, que com estas músicas ajuda-nos a fazer ginástica dentro de água, tornando o exercício numa "gozadera".




quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Post sem(?) tino







No serviço de Urgências:



- Diz-me que tem diarreia. Viu se tinha vestígios de sangue ?



- Sei lá, enfermeira... eu costumo cagar sentado!!!

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Virtudes...

"Andando como Camila a leitura era rápida: cabelo curto = estrangeira. Sem véu = secular = fácil. Educada = prostituta. Nas mais diversas situações fui assediada: olhando coisas em lojas, pegando um táxi, caminhando na rua, dentro do hotel. Mas na medina (o local do comércio) especificamente era uma loucura. Vendedores pegavam na minha mão e, em vez de responder o preço do que eu estava perguntando, devolviam uma pergunta: “podemos passar esta noite juntos? Você está disponível?” 
Só com os olhos de fora, no entanto, caminhando pelos mesmos lugares, pedindo a mesma informação para os mesmos homens, senti-me “honrada, respeitada, protegida, valorizada”. Não havia assédio. Apenas homens solícitos, gentis, reservados, sérios, dedicados e distantes. A atenção, em alguns momentos, era servil. Alguns homens se inclinavam ligeiramente na chegada e na despedida. Era uma reverência à pureza e decência que os tecidos sugeriam."















"Os homens árabes são, de maneira geral, robustos e fortes, grandes, espaçosos, agressivos, traços marcantes, imponentes. Briguentos, gritam no trânsito, gritam para pedir uma oferta na medina, gritam quando se encontram. Nas músicas, gritam. A arte é dionisíaca, exterior, dramática. Não vi um homem beijando uma mulher em espaço público, mas muitos homens se cumprimentavam calorosamente com beijos no rosto, abraços e caminhavam de mãos dadas." 
 (Texto de: Camila Caringe)
(Foto de: Color Cat)      


segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

E se falássemos de...

....................................................................SEXO ?





domingo, 24 de janeiro de 2016

Ques a quente

Clikimagem
Pelos resultados eleitorais disponíveis no momento, digo para mim próprio que "neste campeonato" um segundo lugar tão distante(...) do primeiro, pouco mais significa do que isso mesmo (ainda que tenha mostrado novas dimensões para o tempo novo que já aí está).  
Que, mais uma vez,  metade dos eleitores decidiu nada decidir, mas, daqui a minutos, horas ou dias andará pelos cantos e salas, pelas ruas, pelas páginas, blogues, facebookes e twitters opinando sobre o tudo na mesma político, económico e social do país.
Entretanto, pergunto-me que país é este, onde 152.000 (ou os 300.000 prováveis sem a abstenção) eleitores votaram em Vitorino Silva.  Qual a sua esperança de vida sensata, intelectualmente séria, psicologicamente honesta?
Por fim, lembro-me que está eleito o novo presidente da República e que, afinal, o melhor disto tudo é que o outro vai-se embora. Que a História lhe faça melhor proveito que o proveito que ele nos fez.  

sábado, 23 de janeiro de 2016

Impossível? dá-me que eu gosto.


A única forma de alcançar o impossível
                é pensar que é possível
              acreditar que é possível,
           fazer com que seja possível.

 

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Macaco até ao fim

Por ser o último dia da campanha eleitoral para as eleições presidenciais, deixei-me levar pela SIC na sua visita ao resumo diário das candidaturas.
Pondo de parte a psicologicamente questionável de Vitorino Silva. a experiência psicológica de Jorge Sequeira, a apenas ego-explicável de Cândido Ferreira e a teimosia utópica de Henrique Neto, atentei nas restantes; não por considerá-las as mais legítimas, mas por achá-las as mais politicamente justificáveis e, consequentemente, sustentáveis.
E assim, pude confirmar o que Paulo Morais já esperava sobre o "laissez faire, laissez passer" do adn do português contestatário facebookiano; concordar que, tanto o Bloco de Esquerda como o PCP, reconhecendo à partida não poderem ter um seu militante eleito presidente, aproveitam bem a oportunidade para se revelarem forças de contestação ao momento político actual; constatar a derrocada política da ala do PS/anti-Costa personificada infantilmente por Maria de Belém; rejubilar com o crescendo do movimento cívico personificado por Sampaio da Nóvoa para uma nova era em Portugal e, finalmente, confirmar em directo o cinismo, a desonestidade política e o malabarismo intelectual de Marcelo PàF Sousa - assim, tal qual a foto demonstra e no seu clik se explica:
Clikimagem



quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Vitalícia é a morte

E se a maioria parlamentar tivesse coragem e legislasse para acabar com esta sem-vergonhice das subvenções vitalícias, provando à Nação a diferença entre a solidariedade da Esquerda e hipocrisia social da Direita?

Clikimagem



terça-feira, 19 de janeiro de 2016

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Eu amo o Longe e a Miragem


"Vem por aqui" — dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E não vou por ali...
A minha glória é esta:
Criar desumanidades!
Não acompanhar ninguém.
- Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe
Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos..."

domingo, 17 de janeiro de 2016

A bela e o flan

Hoje, excepcionalmente, a minha publicação é um pouco intimista e por isso ficam desde já as minhas desculpas.
O vídeo que publico poderá ter diversas leituras - uma ou outra, até, de léxico mais erótico, que não(...) é o meu caso.
De entre familiares e amigos, haverá, talvez, uma dúzia de pessoas que perceberá o "leitmotiv" de uma história pessoal (com muitos e muitos anos) várias vezes repetida, mas que nada teria a ver com a metáfora que representa à visão masculina (heterossexual)  a beleza e a doçura do corpo feminino.
Sublinhei teria porque hoje, depois de (re)ver o vídeo, acho que poderei ter encontrado uma possível justificação psicológica para a história, aliás, para os seus diversos actores - alguns que, infelizmente, já não podem celebrar comigo esta sublime coincidência.

   

sábado, 16 de janeiro de 2016

ECOCIDE é crime

ECOCIDE - é o dano extenso, destruição ou perda de ecossistema(s) de um dado território, provocado por acção humana, directa ou indirectamente. 





sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Slow down







"Todos os dias deveríamos ouvir um pouco de música, ler uma boa poesia, ver um quadro bonito e, se possível, dizer algumas palavras sensatas"

Goethe

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Hino das presidenciais


"Pra quê saber meu nome, saber do meu passado?
Não me pergunte nada... fique do meu lado!"




terça-feira, 12 de janeiro de 2016

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Why, America?

Porque, de acordo com a informação dísponivel, à data, os dados citados seriam reais - o que achei curioso - dei voltas e mais voltas para tentar aqui publicar este vídeo sobre a sinceridade política numa das cenas mais famosas da série The Newsroom exibida pelo canal HBO dos States.
Como sempre me deparei com a inexplicável informação: "Incorporação desativada por pedido", aqui deixo este vídeo-resumo, também bastante interessante. 




domingo, 10 de janeiro de 2016

"O caminho faz-se caminhando"

Fazendo votos que o mundo da música deixe entrar a "enorme" Deolinda Kizimba.
 É lá o seu lugar - em qualquer palco!  





sábado, 9 de janeiro de 2016

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Juro que não vou esquecer


"... chamo-me António, não tem importância nenhuma mas chamo-me António e não posso fazer nada por si, não posso fazer nada por ninguém, chamo-me António e não lhe chego aos calcanhares, sou mais pobre que você, falta-me a sua força e coragem, pegue-me antes você ao colo e garanta-me que não morre, não pode morrer, no caso de você morrer eu... No caso de você e da rapariga da almofada morrerem vou ter vergonha de estar vivo".
António Lobo Antunes

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Duelos sexopublicitários

Quando a "criatividade" se resume em acrescentar sexo à publicidade de um produto sobre o qual nada há de novo.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Marcelo PàF - o candidato do "intrude"

      "Andê pá frente e pa trás,
                        mas quem é este rapaz,
                                             de nariz arrebitáde?
      fala, fala, fala, fala,
                        dias intêres na se cala
                                            seca fates d'oleade."



segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Colinhos





No balneário:
- Ó Grunhe, sabes qual é a semelhança entre o Marcelo PàF e o Benfica?
- Sei lá, Jorge: qual é?
- Atão... é que ambos estão a ser levades ao colinhe!!!



domingo, 3 de janeiro de 2016

sábado, 2 de janeiro de 2016

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

O poder do querer

Tentar o impossível, leva-nos muitas vezes a perceber os nossos limites.