sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Olho no olho

Uma das poucas sobreviventes baleias azuis num último encontro, olhos no olhos, com o seu único inimigo: o Homem.

Um filme destinado a captar atenções para o extermínio/caça às baleias, dirigido por Rutger Hauer & van der Woerd Sil.
                                   A partilhar!

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Eis tudo

Estou cansado, é claro,
Porque, a certa altura, a gente tem que estar cansado.
De que estou cansado, não sei:
De nada me serviria sabê-lo,
Pois o cansaço fica na mesma.
A ferida dói como dói
E não em função da causa que a produziu.
Sim, estou cansado,
E um pouco sorridente
De o cansaço ser só isto —
Uma vontade de sono no corpo,
Um desejo de não pensar na alma,
E por cima de tudo uma transparência lúcida
Do entendimento retrospectivo...
E a luxúria única de não ter já esperanças?
Sou inteligente; eis tudo.
Tenho visto muito e entendido muito o que tenho visto,
E há um certo prazer até no cansaço que isto nos dá,
  Que afinal a cabeça sempre serve para qualquer coisa.                                                        


Álvaro de Campos, in "Poemas"

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Aurea mediocritas

Para memória futura aqui ficam os deputados que ontem aprovaram o Orçamento Geral de 2013 e a quem, hoje, toda a gente chama de traidores e/ou cobardes.
Eu não concordo com essas ofensas porque acho que todos eles fizeram o que lhes competia enquanto deputados, membros do sistema político caduco e corrupto que os eleitores portugueses vêm perpetuando.
Como me incluo nesse grupo de 9.657.312 cúmplices, constitucionalmente autorizados a renovar periodicamente essa pseudo-representatividade, só tenho uma coisa a fazer: saír fora do circuito.
Acabou. A partir de hoje, todas as minhas contribuições enquanto cidadão ficarão restringidas à força da lei.
Como ser humano, penicheiro e português... a conversa é outra!

Abel Baptista  (Viana do Castelo, CDS-PP),  Adão Silva (Bragança, PSD),  Adolfo Mesquita Nunes  (Lisboa, CDS-PP),  Adriano Rafael Moreira  (Porto, PSD),  Afonso Oliveira  (Porto, PSD),  Altino Bessa (Braga, CDS-PP), Amadeu Soares Albergaria  (Aveiro, PSD),  Ana Oliveira (Coimbra, PSD),  Ana Sofia Bettencourt  (Lisboa, PSD), Andreia Neto  (Porto, PSD),  Ângela Guerra  (Guarda, PSD),  António Leitão Amaro  (Lisboa, PSD),  António Prôa  (Lisboa, PSD),  António Rodrigues  (Lisboa, PSD), Arménio Santos  (Viseu, PSD),  Artur Rêgo (Faro, CDS-PP), Assunção Esteves (Lisboa, PSD), Bruno Coimbra(Aveiro, PSD), Bruno Vitorino (Setúbal, PSD), Carina Oliveira (Santarém, PSD),Carla Rodrigues (Aveiro, PSD), Carlos Abreu Amorim (Viana do Castelo, PSD),Carlos Alberto Gonçalves (Europa, PSD), Carlos Costa Neves (Castelo Branco, PSD), Carlos Páscoa Gonçalves (Fora da Europa, PSD), Carlos Peixoto (Guarda, PSD), Carlos Santos Silva (Lisboa, PSD), Carlos São Martinho (Castelo Branco, PSD), Clara Marques Mendes (Braga, PSD), Cláudia Monteiro de Aguiar(Madeira, PSD), Conceição Bessa Ruão (Porto, PSD), Correia de Jesus(Madeira, PSD), Couto dos Santos (Aveiro, PSD), Cristóvão Crespo (Portalegre, PSD), Cristóvão Norte (Faro, PSD), Cristóvão Simão Ribeiro (Porto, PSD),Duarte Marques (Santarém, PSD), Duarte Pacheco (Lisboa, PSD), Eduardo Teixeira (Viana do Castelo, PSD), Elsa Cordeiro (Faro, PSD), Emídio Guerreiro(Braga, PSD), Emília Santos (Porto, PSD), Fernando Marques (Leiria, PSD),Fernando Negrão (Braga, PSD), Fernando Virgílio Macedo (Porto, PSD),Francisca Almeida (Braga, PSD), Graça Mota (Braga, PSD), Guilherme Silva(Madeira, PSD), Hélder Amaral (Viseu, CDS-PP), Hélder Sousa Silva (Lisboa, PSD), Hugo Lopes Soares (Braga, PSD), Hugo Velosa (Madeira, PSD), Inês Teotónio Pereira (Lisboa, CDS-PP), Isabel Galriça Neto (Lisboa, CDS-PP),Isilda Aguincha (Santarém, PSD), Joana Barata Lopes (Lisboa, PSD), João Figueiredo (Viseu, PSD), João Gonçalves Pereira (Lisboa, CDS-PP), João Lobo(Braga, PSD), João Paulo Viegas (Setúbal, CDS-PP), João Pinho de Almeida(Porto, CDS-PP), João Prata (Guarda, PSD), João Rebelo (Lisboa, CDS-PP),João Serpa Oliva (Coimbra, CDS-PP), Joaquim Ponte (Açores, PSD), Jorge Paulo Oliveira (Braga, PSD), José de Matos Correia (Lisboa, PSD), José de Matos Rosa (Lisboa, PSD), José Lino Ramos (Lisboa, CDS-PP), José Manuel Canavarro (Coimbra, PSD), José Ribeiro e Castro (Porto, CDS-PP), Laura Esperança (Leiria, PSD)Lídia Bulcão (Açores, PSD), Luís Campos Ferreira(Porto, PSD), Luís Leite Ramos (Vila Real, PSD), Luís Menezes (Porto, PSD),Luís Montenegro (Aveiro, PSD), Luís Pedro Pimentel (Vila Real, PSD), Luís Vales (Porto, PSD), Manuel Isaac (Leiria, CDS-PP), Margarida Almeida (Porto, PSD), Margarida Neto (Santarém, CDS-PP), Maria Conceição Pereira (Leiria, PSD)Maria da Conceição Caldeira (Lisboa, PSD), Maria das Mercês Borges(Setúbal, PSD), Maria João Ávila (Fora da Europa, PSD), Maria José Castelo Branco (Porto, PSD), Maria José Moreno (Bragança, PSD), Maria Manuela Tender (Vila Real, PSD), Maria Paula Cardoso (Aveiro, PSD), Mário Magalhães(Porto, PSD), Mário Simões (Beja, PSD), Maurício Marques (Coimbra, PSD),Mendes Bota (Faro, PSD), Michael Seufert (Porto, CDS-PP), Miguel Frasquilho(Porto, PSD), Miguel Santos (Porto, PSD), Mónica Ferro (Lisboa, PSD), Mota Amaral (Açores, PSD), Nilza de Sena (Coimbra, PSD), Nuno Encarnação(Coimbra, PSD), Nuno Filipe Matias (Setúbal, PSD), Nuno Magalhães (Setúbal, CDS-PP), Nuno Reis (Braga, PSD), Nuno Serra (Santarém, PSD), Odete Silva(Lisboa, PSD), Paulo Batista Santos (Leiria, PSD)Paulo Cavaleiro (Aveiro, PSD), Paulo Mota Pinto (Lisboa, PSD), Paulo Rios de Oliveira (Porto, PSD),Paulo Simões Ribeiro (Setúbal, PSD), Pedro Alves (Viseu, PSD), Pedro do Ó Ramos (Setúbal, PSD), Pedro Lynce (Évora, PSD), Pedro Pimpão (Leiria, PSD),Pedro Pinto (Lisboa, PSD), Pedro Roque (Faro, PSD), Raúl de Almeida (Aveiro, CDS-PP), Ricardo Baptista Leite (Lisboa, PSD), Rosa Arezes (Viana do Castelo, PSD), Sérgio Azevedo (Lisboa, PSD), Telmo Correia (Braga, CDS-PP), Teresa Anjinho (Aveiro, CDS-PP), Teresa Caeiro (Lisboa, CDS-PP), Teresa Costa Santos (Viseu, PSD), Teresa Leal Coelho (Porto, PSD), Ulisses Pereira (Aveiro, PSD), Valter Ribeiro (Leiria, PSD)Vasco Cunha (Santarém, PSD), Vera Rodrigues (Porto, CDS-PP).

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Brincadeiras de mau gosto

               Começou assim:

Clikimagem e escolha o discurso


Acabará assim (?):
Clikimagem 

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Posso pedir um disco?

 


 Porque me haces mucho daño
Porque me cuentas mil mentiras
Y porque sabes que te veo
Tú a los ojos no me miras
Y porque nunca quieres nada
Que a ti te comprometa
Yo te voy a dar la espalda
Para que alcances bien tu meta
Que yo me voy porque mi mundo me
está llamando
Voy a marcharme deprisa
Que aunque tu ya no me quieras
a mí me quiere la vida
Yo me voy de aquí
Jodida por contenta
Tu me has doblado pero yo aguanto
Dolida pero despierta
Por mi futuro
Con miedo pero con fuerza
Yo no te culpo ni te maldigo
Cariño mío
Jodida pero contenta
Yo llevo dentro una esperanza
Dolida pero despierta
Pá mi futuro
Con miedo pero con fuerza
Que a partir de ahora
y hasta que muera
Mi mundo es mío
Con tormento y sin dolores
Yo voy haciendo camino
Y que la brisa marinera
Me oriente hacia mi destino
Así es que me voy bajando
Pa la orillita de puerto
Y el primer barco que pase
que me lleve mar adentro
Y en este planeta mío
Ese en que tu gobernabas
Yo ya he clavado mi bandera
Tu no me clavas mas nada
Déjame vivir a mi
Jodida por contenta
Tu me has doblado pero yo aguanto
Dolida pero despierta
Por mi futuro
Con miedo pero con fuerza
Yo no te culpo ni te maldigo
Cariño mío
Jodida pero contenta
Yo llevo dentro la esperanza
Dolida pero despierta
Por mi futuro
Con miedo pero con fuerza
Que a partir de ahora
Y hasta que muera
Mi mundo es mío
Jodida por contenta
Dolida pero despierta
Con miedo pero con fuerza
Yo voy con miedo pero con fuerza
Y te digo mi prima:
?Tonta, todo en la vida se paga?


domingo, 25 de novembro de 2012

O povo (ainda) é sereno(?)

Quando me treinaram para "trambo"  (rambo trambolho), a poucos dias de embarcar para a Guiné, avisaram-me que os movimentos políticos contestatários tinham uma certa predilecção por datas historicamente importantes para lançar acções mais ou menos violentas contra o regime.
Hoje lembrei-me deste ensinamento e esperei.
Esperei. Esperei.
... e porra, é quase meia-noite e nada!

sábado, 24 de novembro de 2012

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Desculpem lá sportinguistas!

... mas, acreditem ou não, juro que era este "post" que tinha agendado para hoje.Se alguma coisa não bate certo a culpa não é minha.

O que eu não estou é para alterar a programação do meu blogue por causa de uma dúzia de mercenários infiéis à tradição que não respeitam prognósticos.

Ingratos de merda! 
 


quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Sai burro, entra popota!

Decididamente, "pra baixo todos os santos ajudam".
Depois da decisão psicologicamente assumida de proibirmos Gaspar em aparecer no presépio deste Natal, entendeu o Papa Bento XVI esclarecer o mundo que no "sítio onde Jesus nasceu não havia animais" - acabando assim com o gado com que a tradição secular sempre enfeitou o sagrado estábulo de Belém - principalmente o burro e a vaca que ali estariam para, com o bafo, "aquecerem o menino nas palhinhas deitado" tal como nos catequizaram (e lembrar-me eu da bulha que tive com o meu parceiro de de Religião e Moral para conseguir a personagem do burro numa teatralização natalícia!).
E agora, o que vão fazer as famílias a tanto animal (ainda por cima, não comestível) com que orgulhosamente enfeitavam a sua simbólica homenagem à miraculosa natividade católica? E a alegria, o mistério e o sonho das crianças tão ansiosamente aguardado para o 25 de Dezembro? 
Não bastava já a importância crescente do Pai Natal naquela cena da prenda no sapatinho para baralhar o nosso imaginário? 
Assim, displicentemente, aos poucos, a paganização vai subvertendo o espírito natalício num acto de consumismo. Por isso, não nos admiremos se, como dizia ontem uma daquelas sentinelas (figurinhas que "embelezam" as entradas) do nosso mercado municipal:- "ai na me dão subside? atão prontes, este natal só dou as popotas!"
Entretanto, e enquanto não é decretada a morte do coelhinho da Páscoa, aqui fica, para a posteridade, uma história de Natal bem recheada de bicharia.

  


        

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Stand by Vi (tor)

Conhecida que é a última balada de amor troikiano pela voz (horrível) do ministro Vitor Gaspar, dedico este vídeo a todos os bunnies portugueses que insistem em querer ver uma luzinha ao fundo do túnel.

Refrão:  "Whenever you're in trouble, stand by me." 



segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Poema fotográfico

  Lisboa, 16 de Novembro de 2012 (11:43:46)

        Do meu quarto vejo a avenida,
                             da Liberdade, diz a História.
                                                 Trocaram-me as voltas à vida,
                                                                   mas logrei tamanha glória!

domingo, 18 de novembro de 2012

sábado, 17 de novembro de 2012

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Peniche não(?) merece isto (9)

Porque acredito na importância da Cultura na identidade das gentes, o que hoje aqui deixo, terá sido, porventura, uma das opiniões mais difíceis de assumir desde que publicamente me manifesto sobre Peniche.
Ora, se há intervenção meritória do Município de Peniche na preservação e desenvolvimento da identidade cultural da nossa terra, é a aposta feita na conservação e divulgação das Rendas de Bilros.
Neste contexto, a notícia da adjudicação das obras do Museu das Rendas de Bilros de Peniche deveria, também, caber na minha homenagem. Mas não.
Nos dias difíceis que correm, saber que uma obra inicialmente orçada em 850 mil euros, terá uma comparticipação comunitária de 480 mil euros - ficando o resto (370 mil euros) por nossa conta, torna difícil, muito difícil mesmo, perceber esta prioridade (eleitoral?) dos nossos responsáveis autárquicos, mais a mais quando as actuais estruturas parecem dar boa resposta, a avaliar pela bondade das referências que por todo o lado são feitas sobre esta temática tão querida aos penicheiros.
E se a essa dúvida juntar (pelo barato) 100 mil euros anuais de custos de funcionamento do museu,  a paragem das obras da Biblioteca Municipal por falta de verba, a inexequibilidade das obras de conservação e remodelação do parque habitacional/social da Coosofi e Bº Calvário por falta de verba, o fim quase-anunciado das urgências do hospital de Peniche por falta de verba e por fim (tipo cereja no topo do bolo) o empréstimo bancário de 3 milhões e duzentos mil euros a contratualizar dentro de poucos dias para pagamento de dívidas a fornecedores há mais (muito mais) de um ano?  
Sinceramente, pensei que, nesta época de tão profunda crise global, a administração CDU da nossa Câmara Municipal abandonasse, em definitivo, a megalomania financeiramente desastrosa com que os lobbies da lavandaria mundial de dinheiro e do betão armado, durante anos, aliciaram Portugal e as suas autarquias, levando-nos para o endividamento absurdo a que chegámos e que nos violentará per omnia saecula saeculorum.
Pelos vistos, pensei mal. Se calhar, atendendo à nobreza dos objectivos deste investimento cultural, até que deveria relevar (inocentar?) o erro de análise da gestão camarária. 
Pois, deve ser isso: o burro sou eu!

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

terça-feira, 13 de novembro de 2012

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

domingo, 11 de novembro de 2012

Pr'alemão ver


Pra português perceber:


sábado, 10 de novembro de 2012

Posso pedir um disco?





Deixei
na Primavera o cheiro a cravo
rosa e quimera que me encravam na memória que inventei

e andei
como quem espera
pelo fracasso
contra mazela em corpo de aço
nas ruelas do desdém

e a mim que importa
se é bem ou mal
se me falha a cor da chama a vida toda
é-me igual

vi sem volta
queira eu ou não
que me calhe a vida
insane e vossa em boda
até ao verão

deixei na primavera o som do encanto
riça promessa e sono santo
já não sei o que é dormir bem

e andei pelas favelas
do que eu faço
ora tropeço em erros crassos
ora esqueço onde errei

e a mim que importa
se é bem ou mal
se me falha a cor da chama a vida toda
é-me igual

vi sem volta
queira eu ou não
que me calhe a vida
 insane e vossa em boda
até ao verão

e a mim que importa
se é bem ou mal
se me falha a cor da chama a vida toda
é-me igual
vi sem volta
queira eu ou não
que me calhe a vida
insane e vossa em boda
até ao verão

deixei na primavera o som do encanto

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Peniche não merece isto (8)

Foto 1
Desde há muito tempo que me interrogo porque razão, de entre tanta gente empregada (a prazo, por empréstimo ou ao abrigo de um qualquer programa ocupacional subsidiado) na Câmara e/ou nas Juntas de Freguesia de Peniche, não há (ou se há, não parece) quem tenha a simples função de caminhar por toda a cidade, vilas e aldeias do concelho e anotar (com maior ou menor apuro técnico) as anomalias, os desfuncionamentos e tudo o mais que mereça reparo aos olhos da segurança e bem estar dos munícipes, bem como à prevenção de gastos extraordinários ao erário público.
Foto 2
Naturalmente, esta função de vigilância, às vezes, é exercida pelos "locais". Porém, a prática da cidadania - especialmente no que toca a deveres - não navega ainda por estes mares. Então, das duas uma, ou os Fuas (desculpa-me o "empréstimo", Carlos Tiago) reportam à sua maneira:  "extrapolando publicamente insignificâncias embirrentas" (como já ouvi chamar-lhes), ou então - como os dois pequeninos exemplos que aqui deixo - ninguém(?) dá por nada e fica assim, até que venha o fotógrafo-da-casa bater uma chapa da reparação para publicar no próximo boletim de Junta de Freguesia ou da Câmara Municipal. Pois!

Foto 1) - Pregos "esquecidos" em todas as zonas de fogueiras da última Corrida das Fogueiras.
Foto 2) - Buraco aberto (há 2 semanas) no passeio fronteiro à ACISP no acesso à Escola Secundária.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

C@rt@ de @mor

Clikimagem

domingo, 4 de novembro de 2012

E precisa tradução?


Kantádu ma dimokrasiâ,
Ma stába sukundidu,
Ma tudu dja sai na kláru
I nós tudu dja bira sabidu.

Kada um ku si maniâ
Fla rodóndu bira kuadrádu,
Kada um ku si tioriâ
Poi razom pendi di si ládu.


Ti Manel bira Mambiâ,
Ti Lobu bira Xibinhu,
Ti flánu ta faze majiâ
Ta poi grógu ta bira vinhu.
Mintira pom di kada dia,
Verdádi ka s'ta kontádu,
Nós tudu bira só finjidu
Ku kombérsu di dimagojiâ.
Vida bira simplismenti,
Konsedju bira ka ta obidu :
Tudu é agu na balai frádu
É rialidádi di oxindiâ.

Maioriâ sta tudu kontenti
Ku avontádi na dimokrasiâ
Fládu fla ka tem simenti,
Dipós di sábi móre é ka náda.

Inglés bem toma si tchom,
Sam-Fransisku bira más sábi,
M-kré odja róstu-nhu Djom
Ta ri ku si kumpadri.

Dja skesedu di Pepé Lópi
Bá rabuskádu Nhu Diogu Gómi,
Rasusitádu Nhu Kraveru Lópi,
Ka ta konxedu Inásia Gómi.
Ali bem témpu ditádu-Nhu Náxu
Ta bira sima juís di mininu
Gentis djunta grita abáxu
É kabésa ki dja perde tinu.

sábado, 3 de novembro de 2012

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

quinta-feira, 1 de novembro de 2012