quinta-feira, 30 de abril de 2015

Discriminações sem camisa

- Eu estou aqui para dar sangue, por favor.
- O senhor é gay? - pergunta a enfermeira.
- Sou sim.
- E há quanto tempo teve a sua última relação sexual?
- Activo ou passivo?
- Tanto faz.
- Foi há 6 meses, com o meu companheiro da altura.


- E entretanto esteve sempre em abstinência?
- Não, tenho bebido umas cachacinhas.
- Estou a falar em termos de sexo.
- Em termos de sexo sim.
- Consegue provar-me?
- Prová-la, enfermeira? Eu consigo, mas já lhe disse que sou gay !!!

quarta-feira, 29 de abril de 2015

terça-feira, 28 de abril de 2015

Rir? Rir de quê?

A crer na blogosfera, parece que hoje é celebrado - não sei bem onde - o dia mundial do Riso.
Andava eu à procura de matéria para encaixar no tema e deparei-me com este artigo sobre as dependências dos portugueses.
E, claro, lembrei-me logo da anedota da hiena...
Então, afinal rimos de quê?



segunda-feira, 27 de abril de 2015

Tudo se explica

Eu sabia!
A infalibilidade, o auto-controle e a confiança (em si mesmo) que uma certa personalidade nacional tanto se esforça por exibir, tinham de ter uma explicação.
Demorou tempo, mas eu, que raramente me engano e nunca tenho dúvidas, eu sabia!







domingo, 26 de abril de 2015

Acordos d'Abril

(Clicar em baixo para ouvir) 

sábado, 25 de abril de 2015

Agarrar Abril

(Foto de Jorge Guerreiro)
Confesso que não era nada disto que hoje pensava escrever sobre o 25 de Abril.
Mas o crescente desinteresse que todos nós começamos a manifestar pela coisa política é tão preocupante como preocupante vem sendo o desinteresse que os políticos revelam pelos que (ainda) votam na esperança de prolongar a vida aos ideais que a revolução de Abril prometeu.
Sabida que é a nossa habilidade para a crítica fácil, para o bot'abaixismo gratuito e indisponibilidade cívica, restava-nos a consolação de que, pelo menos, os corajosos (porque alvos preferenciais dos cobardes apolíticos) servidores do sistema democrático nascido em Abril/74 manifestassem alguma solidariedade institucional através da sua presença nos actos simbólicos da sua comemoração em Peniche.
Se em anos anteriores não tem sido assim, o dia de hoje não fugiu à "regra" e piorou.
O concelho de Peniche tem oitenta e três eleitos em efectividade de funções autárquicas diversas, tem representações instaladas da PSP, GNR, SEF, Marinha Portuguesa. Tem Tribunal Judicial, Escolas Básica, Secundária e Superior, Hospital e Centro de Saúde, Bombeiros Voluntários, Junta A. Portos e Docapesca, Autoridade Tributária. E se, apenas metade desta representatividade, tivesse participado, hoje, na sessão solene das comemorações do 41º aniversário do 25 de Abril, a Capela de Sta. Bárbara na Fortaleza de Peniche estaria de lotação completa...
Não estava. Os autarcas, as autoridades, os delegados aproveitaram o feriado e feriaram. 
Mas houve quem (os "resistentes do costume"), pelo menos, quisesse honrar Abril/74.
Felizmente, ainda há quem acredite que Abril merece a pena e não o queira deixar caír!
       

sexta-feira, 24 de abril de 2015

quinta-feira, 23 de abril de 2015

quarta-feira, 22 de abril de 2015

A Terra precisa de nós

A Q U I   há mais                   

terça-feira, 21 de abril de 2015

O renascer da esperança

Pela reacção (esperada) do PSD às propostas hoje apresentadas como possíveis caminhos base para o próximo programa do Partido Socialista, a esperança voltou ao bando...



segunda-feira, 20 de abril de 2015

Mãos verbo

Mãos que falam. Mais que do que palavras...

domingo, 19 de abril de 2015

A liberdade de mudar

"Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, muda-se o ser, muda-se a confiança:
Todo o mundo é composto de mudança, tomando sempre novas qualidades". 

E Portugal mudou? Claro que mudou!
Se, como cantou Camões, todo o mundo é composto de mudança, porque raio haveríamos de estar proibidos de a experimentar, obedecendo aos caprichos de um ditador orgulhoso, só(...), carrasco dos direitos e das liberdades dos portugueses, pai da miséria social e cultural das suas gentes?
Portugal mudou, os portugueses mudaram e mudam: experimentando continuamente os benefícios e malefícios do que sabem (ou não) escolher quando em liberdade utilizam o direito que lhes foi garantido  por terem tido a coragem de mudar.


sábado, 18 de abril de 2015

Recordar é viver

Depois de três tentativas (justificadamente) frustradas, consegui hoje, finalmente, juntar-me ao grupo de ex-alunos da Escola Industrial e Comercial de Peniche que procura manter vivos os momentos e as amizades de há cinquenta anos (e mais) atrás.
E, porque recordar é viver, o dia de hoje vai ficar na galeria dos meus dias grandes.
Obrigado por isso a todos os que estiveram presentes e um voto de  louvor ao Álvaro Marques e ao Xico Germano pela organização da festa.


sexta-feira, 17 de abril de 2015

quinta-feira, 16 de abril de 2015

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Penicheiradas

"Quem torto nasce, tarde ou nunca se endireita"

terça-feira, 14 de abril de 2015

segunda-feira, 13 de abril de 2015

O terramoto de 1755

É sabido que o terramoto (magnitude entre 8 e 9 na escala de Richter)  em 1 de Novembro de 1755 teve efeitos devastadores, principalmente, na cidade de Lisboa, ampliados pelo tsunami (ondas com mais de 15 metros) que se seguiu e pelos incêndios ocorridos.
Mas este vídeo recente do Smithsonian Channel consegue fazer-nos perceber melhor os momentos que se seguiram, ao reconstituir com alguma realidade o impacto da onda gigante que demorou 40 minutos a subir o Tejo e atingir a cidade.

domingo, 12 de abril de 2015

O que será de NÓS?

Se já hoje não é raro assistir publicamente à "dependência ipho/smartphonica " de muitos grupos de amigos e famílias, a recente publicidade da operadora NOS leva-nos a antecipar como (até) o futuro das relações pessoais será cada vez mais regido pela tecnologia.  
Crianças com amigos robôs, adolescentes com amizades electrónicas, jovens com relacionamentos virtuais, adultos vivendo em modo tecno-colorido. E até os velhos como eu, no futuro, terão um cão robotizado para levar a passear... e só isso mesmo, porque estes cães do futuro (espera-se) deverão estar programados para não dejectarem, evitando o actual e vergonhoso emerdanço dos caminhos e passeios utilizados pelos humanos.

sábado, 11 de abril de 2015

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Os santos ofícios

António Guterres seria(...) claramente o melhor candidato que a não-direita poderia apresentar à presidência da República, sendo consensual que a sua transversalidade política poderia sentá-lo na cadeira presidencial em 2017.
Mas, infelizmente, Guterres, pelo que hoje garantiu, parece pouco interessado em trocar uma Torre de Manhattan pelo palácio de Belém.
Tamanha inocência faz lembrar Charlie Chaplin no filme "O grande ditador":
- Sinto muito, mas não pretendo ser um imperador. Não é esse o meu ofício...


quarta-feira, 8 de abril de 2015

Peniche podia ser melhor, pois podia...

Hoje, ao (re)ver imagens da Piscina das Marés em Leça da Palmeira/Matosinhos lembrei-me de uma frase lida há poucos dias quando "visitei" a obra de Antoni Gaudi. Dizia ele que "os que olham para as leis da Natureza como um apoio para os seus trabalhos colaboram com o Criador".
 Que pena em Peniche e por Peniche só passar gente de vistas curtas, descrente de que as coisas possam ser feitas de outra maneira e que tentá-lo possa valer a pena..


terça-feira, 7 de abril de 2015

segunda-feira, 6 de abril de 2015

domingo, 5 de abril de 2015

sábado, 4 de abril de 2015

sexta-feira, 3 de abril de 2015

quinta-feira, 2 de abril de 2015

quarta-feira, 1 de abril de 2015