quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Proverbio brasileiro

"No dia que Cabral chegou ao Brasil, se não chovesse, eram os portugueses que ficavam nus"


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

terça-feira, 29 de outubro de 2013

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

domingo, 27 de outubro de 2013

sábado, 26 de outubro de 2013

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Penicheiradas com estilo

A minha mensagem de hoje começou às oito da manhã quando mão amiga me enviou este vídeo. Não resisti.
Primeiro, porque sendo fã incondicional deste Bolero de Ravel, oiço-o sempre com agrado, seja tocado em traje de gala, em jeans e t-shirt ou em calções de banho e biquini.
Depois, porque me ocorreu sugerir, aqui, este tipo de iniciativa aos organizadores do(s) próximo(s) eventos "surf-pro" em Peniche, como alternativa às bizarrias mediáticas protagonizadas pela dupla mayor Tó-Zé/Matt Wilkinson nos Supertubos.
E, finalmente, porque fiquei tão descansado com a excelência do alinhamento do post de hoje (tipo "já nos safemos" sabem?) que me ia esquecendo de o publicar.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Afinal ele é um menininho!

Só ainda não viu, leu ou ouviu quem não quis.
José Sócrates, regressado do retiro intelectual em Paris (as coisas a que a nossa democracia obriga...) aproveitou o "descanso" futebolístico e tomou de assalto o fim de semana noticioso com (mais) esta tentativa de branqueamento do seu papel político na História de Portugal.
"que não foi culpado de nada; Santana Lopes, Cavaco,Teixeira dos Santos (traidor, imagine-se!) e os filhos da mãe (se ele dissesse da puta eu não estava a escrever isto, juro!), essa gente toda é que originou a crise que apoquenta os portugueses"
Como a malta aqui do Cerro sabe, nunca fui socretino e, às vezes, até tenho raiva (política, claro!) desse lobby de adoradores incondicionais. Porém, desta vez dou-lhe o benefício da dúvida. Dou-lho, não. Empresto-lho...
 


Pelo menos até saber como reage a este anúncio/convite da menina boa(zona) da nacional-TV que é Cristina Ferreira.

 
Vá lá, homem... despacha-te!

domingo, 20 de outubro de 2013

Bizarro ma non tropo


Campanha de difusão da linha de apoio e aconselhamento na Holanda

sábado, 19 de outubro de 2013

Desgarrada Açoreana

"... e nessa não tens razão
 ó Pedro entra na guerra!
Tu és mais um ladrão,
 que está roubando esta terra."
                                                     (José Custódio)
A partir dos 5 minutos, este vídeo poderia ser uma parte do debate - entre António José Seguro e Pedro Passos Coelho - sobre o Orçamento de Estado 2014. 
Poder, poderia, mas não será.  Porque acaba assim:
 "Já viram este vaidoso,
                           que está pr'aqui a brincar...
                                                       Eu sinto-me muito orgulhoso,
                                                                                de estar em segundo lugar!"
 (Pedro Pacheco)

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Vai uma ajudinha, senhora ministra?

Como cidadão, naturalmente, temos direitos e obrigações.
E, apesar de ambos estarem insertos nos muitos códigos que regulam a cidadania portuguesa, reclamar os direitos é-nos geneticamente mais prioritário que cumprir as obrigações.
Eu próprio reconheço que aqui, no CerrodoCão, me tem sido muito mais fácil usar o meu direito à crítica do que cumprir o dever da obediência cega que parece querer tomar conta do país.
Hoje, porém - tal como fiz no ano passado por ocasião da apresentação do Orçamento de Estado - acho meu dever tentar contribuir um pouco para a solução do  problema das finanças portuguesas. Assim:
- Considerando que o Governo elegeu como prioridade o combate à evasão fiscal, primeiro, com incentivo fiscal em IRS por dedução percentual do IVA pago a cabeleireiros, cafés/restaurantes e oficinas de reparação de automóveis, e agora com o sorteio de prémios a quem pedir facturas (não se sabendo se apenas aos suspeitos do costume ou se incluirá as grandes superfícies, as compras on-line, as praças e mercados abastecedores, etc.) e tendo em conta que os despedimentos previstos exigidos pela Troika no funcionalismo público,
para além de socialmente criticáveis, causarão forte agravamento no desemprego nacional;
Proponho que o governo anule as duas medidas acima referidas e utilize a verba que estava predisposto a abater às receitas do Estado em 2014 na contratação/transferência de funcionários públicos para o preenchimento do cargo de fiscal-tesoureiro obrigatório em todo e qualquer tipo de estabelecimento comercial/industrial/prestação de serviços.
Ou seja, todas as empresas ou empresários em nome individual, de qualquer actividade económica, teriam de ter, obrigatoriamente, um fiscal do Estado a controlar diariamente as suas vendas.   
Só assim, acredito, só assim é que, passado pouco tempo, o nosso Fisco se convenceria que a evasão fiscal, a GRANDE, está muito mais além do que os seus "eleitos" (cabeleireiros, cafés/restaurantes e reparadores de automóveis).
........... ................................................................................................ Aqui chegados, espero que a brincadeira tenha sido percebida, porque, francamente, presumir-se sempre que a evasão fiscal passa pelas mesmas pequenas e médias empresas e empresários é que parece brincar ao tapa-o-sol-com-a-peneira!
 

terça-feira, 15 de outubro de 2013

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

domingo, 13 de outubro de 2013

Requiem pelo "Vida's"

Hoje partiste, mestre.
                             Hoje fugiste-me, companheiro.
                                                            Hoje deixaste-me mais só, AMIGO.

A vida é assim quando acaba - implacável para quem vai, dolorosa para quem fica.
A morte...? a minha vai chegando aos poucos - sempre que almas como a tua se apagam levando com elas um resto de mim. 

sábado, 12 de outubro de 2013

Há coisas do caraças...

Não sei porquê, hoje, passados exactamente quarenta anos, lembrei-me de me ter sido comunicada a mobilização para a guerra na Guiné Bissau.
Por isso, arrepia-se-me a alma ao recordar esse momento tão doloroso e, ao mesmo tempo, tão cheio de esperança numa viagem rápida, com retorno.
Sentimentos como os que Ary dos Santos, um dia, tão bem soube exprimir:


Nem um poema, nem um verso, nem um canto,
Tudo raso de ausência, tudo liso de espanto
Amiga, noiva, mãe, irmã, amante,
Meu amigo está longe.
E a distância é tão grande.
Nem um som, nem um grito, nem um ai
Tudo calado, todos sem mãe nem pai
Amiga, noiva, mãe, irmã, amante,
Meu amigo esta longe
E a tristeza é tão grande.
Ai esta mágoa, ai este pranto, ai esta dor
Dor do amor sózinho, o amor maior
Amiga, noiva, mãe, irmã, amante,
Meu amigo esta longe
E a saudade é tão grande.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

A surfar é que a gente se (des)entende.

Bem diz o povo que no melhor pano cai a nódoa.
Numa sessão livre de surf/bodyboard o campeão Joel Parkinson desrespeitou a prioridade numa onda onde, por acaso, já "estava" um praticante penicheiro.
A polémica instalou-se como se pode ver, havendo até troca de piropos e meiguices confirmadas neste vídeo.
Pelo que sei das regras deste jogo, Parko perdeu: a razão e a minha admiração.
O pior é que, se calhar, o lobby do surf cascalejo ganhou muitos pontos (fora d'água)...

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Supremo deboche





É por outras e mais esta que se torna difícil perceber a linha que separa a república portuguesa de uma república das bananas.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

domingo, 6 de outubro de 2013

sábado, 5 de outubro de 2013

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

A insustentável forma de governar





Será que caminhamos para um Estado fétiche, dominado pelos tarados do bondage?


Se não é, a crer nas afirmações de Cavaco Silva, parece...


Umas vezes sado, outras, masoquistas.


Seja como for, a verdade é que quem sofre somos nós!

terça-feira, 1 de outubro de 2013

A minha música para o seu Dia Mundial

Em 1970, ouvi-o pela primeira vez na noitada do estudo "última hora" anterior à minha prova de admissão ao instituto comercial de Lisboa. Julgo que foi na ex-Emissora Nacional.
Foi paixão à primeira audição e não descansei enquanto não comprei o LP.
Bolero de Ravel - sempre que o oiço sinto a emoção dessa primeira vez. Admirável!