sábado, 31 de março de 2012

sexta-feira, 30 de março de 2012

Ala, ala arriba(s)!!!

 
Um dia a arriba cai e depois diz-se, noticia-se, clama-se: "ai e tal é uma pouca vergonha, neste país ninguém quer saber de nada, para estas coisas não há dinheiro, os políticos só querem  é encher a carteira à conta da gente e a justiça deixa, etc...."
Peniche, 29/03/2012 (18,00H)
Pois, mas... e o resto?

quinta-feira, 29 de março de 2012

Há mar e mar, mas...


Clikimagem
Em 2006 o, então Comandante do Porto de Peniche, lembrou-se de estabelecer um protocolo com diversas entidades locais, para tornar a baía Peniche de Cima – Baleal, mais segura.
Esse protocolo, BAÍA mais SEGURA - Peniche-Baleal, necessitava de uma moto quatro para transportar a moto d’água colocada à disposição deste projecto pelo I.S.N. , para em conjunto tornar aquele extenso areal ( +-3,5Km) numa praia verdadeiramente segura.
A Câmara Municipal, Estaleiros Navais de Peniche e C.A.P.A. com 2.500€ cada, a AMAP e a Opcentro com 1.250€ cada, Baleal Super – Surf Camp – Sol Hotel – Gauchão da Picanha com 500€ cada e ainda a C.G.D. com 250€ pagaram essa moto quatro.
Com 100€ cada, Bar Camboa – Bocaxica – Baleal Campismo – Bar Bruno – Danau – Amigos do Baleal – AU. Natural – Café Central e Bar da Praia pagariam entre si os nadadores salvadores.
Passaram cinco anos e o material Baía + Segura nunca mais foi visto, tendo, por isso, as condições de segurança daquelas praias voltado aos níveis anteriores a 2006, agravados com a, cada vez, maior afluência de banhistas, simples ou com pranchas.
De novo, nesta terra pouco abundante de boas ideias, mais um "nado-morto" que não parece ter preocupado (cinco anos passados?) a quem, institucionalmente, cabe esta responsabilidade.
Entretanto, o novo Verão já anda por aí, e, como diria o ceguinho: "a ver vamos"!
(Artigo baseado em mensagem partilhada de Carlos Tiago)

quarta-feira, 28 de março de 2012

terça-feira, 27 de março de 2012

segunda-feira, 26 de março de 2012

Tachos e panelas

0
O processo das mais recentes nomeações (jobs) de representantes (boys) do Estado, fazem lembrar as antigas zangas entre dois putos: especialmente quando atingiam o auge verbal e um chamava paneleiro ao outro.
Ao que o ofendido retorquia: "sou paneleiro vendo panelas, vira-te para cá de costas que eu te digo o preço delas!" (versão soft...)
Felizmente, a zanga durava pouco tempo e, no fim, seguiam os dois juntos combinando a próxima sacanagem. Era assim, não era?

domingo, 25 de março de 2012

sábado, 24 de março de 2012

Há vida em Marte?

O Portugal Economy Probe –  lançado há pouco tempo, trata-se de uma plataforma que reúne toda a informação importante sobre a economia e as finanças de portuguesas e que visa a promoção internacional da imagem de Portugal, proporcionando um melhor conhecimento da economia portuguesa junto de potenciais investidores.
Dizem os especialistas que ”nesta fase particularmente crítica para os destinos do país, torna-se fundamental a existência de um sítio "top of mind" sobre Portugal onde investidores e analistas, mas também jornalistas, líderes de opinião, políticos, académicos e público em geral, encontrem com facilidade os relatórios económicos prioritários, as estatísticas e os factos económicos e políticos relevantes, assim como as notícias importantes com origens nas fontes oficiais e internacionais. A tão proclamada "diplomacia económica" que tarda em se desenvolver precisa deste tipo de instrumentos. É a bem dizer uma espécie de “porta-voz” de Portugal”.
Tudo em inglês, mas aqui se mostra como a sociedade civil, devidamente mobilizada, é capaz de se associar em torno de um Projecto Nacional.
Assim o promovam e a deixem trabalhar!

sexta-feira, 23 de março de 2012

Ó Relvas, (ainda) tens cá disto?

Aqui: o grave da greve
(Foto inicial de Hugo Correia-Reuters)

quinta-feira, 22 de março de 2012

(des)Amores revolucionários

...e, hoje, fico-me por aqui:

quarta-feira, 21 de março de 2012

terça-feira, 20 de março de 2012

Indignações à portuguesa (até ver...)

"É um fenómeno curioso: o país ergue-se indignado, moureja o dia inteiro indignado, come, bebe e diverte-se indignado, mas não passa disto. Falta-lhe o romantismo cívico da agressão.
Somos, socialmente, uma colectividade pacífica de revoltados."
Miguel Torga


"A desobediência é um acto individual que tira a sua força da capacidade dos homens têm de trabalhar em comum. A desobediência abre a via para a resistência colectiva e, neste sentido, ela é um perigo para todo o poder que abusa da sua autoridade".
Henry Thoreau

segunda-feira, 19 de março de 2012

Pai nosso


O Pai Terra de semente inculta e bravia,
terra onde não há esteiros ou caminhos,
sob o sol minha vida se alonga e estremece.

Pai, nada podem teus olhos doces,
como nada puderam as estrelas
que me abrasam os olhos e as faces.

Escureceu-me a vista o mal de amor
e na doce fonte do meu sonho
outra fonte tremida se reflecte.

Depois... Pergunta a Deus porque me deram
o que me deram e porque depois
conheci a solidão do céu e da terra.

Olha, minha juventude foi um puro
botão que ficou por rebentar e perde
a sua doçura de seiva e de sangue.

O sol que cai e cai eternamente
cansou-se de a beijar... E o outono.
Pai, nada podem teus olhos doces.

Escutarei de noite as tuas palavras:
... menino, meu menino...

E na noite imensa
com as feridas de ambos seguirei.

domingo, 18 de março de 2012

Homem feliz?

As regras:

1ª) - É importante ter uma mulher que ajude na casa, que cozinhe, que limpe e que tenha um trabalho fora para ajudar nas despesas;

2ª) - É importante ter uma mulher com sentido do humor e que nos faça rir;

3ª) - É importante ter uma mulher em quem se confie e que não minta;

4ª) - É importante ter uma mulher que seja boa na cama e que goste de estar connosco;

5ª) - É muito, MUITO,  importante que essas quatro mulheres não se conheçam.




sábado, 17 de março de 2012

Falta muito, António ?

Sou dos que acreditam que ainda poderá haver nova Vida no Largo do Rato.
Ou, dizendo de outra forma (aproveitando a letra do fado), sou dos que "aguardam à beira do cais". E, das duas uma: ou tomamos nova barca e lutamos contra a corrente, ou deixamo-nos caír no mar das desigualdades que, diariamente - qual tsunami, afoga a vida humana deste país. 

sexta-feira, 16 de março de 2012

Cola de presidentes à cadeira ?

Apesar de presidente da República Portuguesa, Cavaco Silva nunca foi, não é, nem nunca será o meu presidente. 
Mas, por mim, eleito que foi - e a democracia não perdoa - nada mais lhe restará senão cumprir essa, tão penosa quanto mal paga, função de Estado.
Na minha opinião, nos próximos 4 anos, dar a sua "tecnocara" e o seu "tecnocorpo", desprovidos de qualquer humanismo, ao manifesto da pobreza franciscana em que o país está, será como que um cumprir de castigo por tudo aquilo que fez/deixou fazer aos portugueses; aos Portugueses feios, pobres e maus amigos, ou seja: àqueles nove milhões novecentos e noventa mil que sobrevivem à margem das órbitas do poder político.
Por tudo isto, não subscrevi a "petição on-line" para a sua demissão, entregue anteontem na Assembleia da República,
No entanto, o veredicto oficial que despachou a admissão desta petição é que me preocupa. Vejamos:
“A admissão da petição pela demissão do Presidente da República, Cavaco Silva, foi  rejeitada na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais porque a Assembleia não tem competência para demitir o Chefe de Estado.”
Então quem é que pode demitir o presidente da República?
Não acredito que o presidente Cavaco Silva vá muito mais longe do que tem ido nas suas incongruências, mas, se um dia destes se comprovasse a sua incapacidade fisica e/ou intelectual (para não falar de outros motivos "complicados") quem poderia demiti-lo, caso ele não (o que não creio) tomasse essa iniciativa?
Desconhecimento meu, falha constitucional ou será que, depois de quase 38 anos, ainda há campo aberto para Américos Tomaz ou Otelos?

quinta-feira, 15 de março de 2012

Cegonhas em Peniche

O que hoje publico devo totalmente à inspiração do Carlos Alberto Tiago - (Fua para os barcos-da-casa) um quixotesco penicheiro que (desde há muito) só está bem se não estiver quieto, tanto para seu bel-prazer como, felizmente, para bem dos males cá-da-terra.
A inspiração foto-literária é toda "fueca". Se me aproveitei mal... paciência!!! 



quarta-feira, 14 de março de 2012

terça-feira, 13 de março de 2012

Dor d'Álvaro



  
Quando um homem é abandonado, dizem que chega uma dor insuportável.
Uns choram-na, outros cantam-na.
Neste caso, parece que o ministro Álvaro não economizou (acho até que exagerou, a partir do minuto 1,41...) palavras. Oiçam bem!