domingo, 31 de outubro de 2010

Brejeirices de domingo

Palavrões para quê...


sábado, 30 de outubro de 2010

A anedota da semana


Pr'aí há umas boas dezenas de anos, concorri à Anedota da Semana do saudoso jornal "Diário Popular" com uma proposta parecida com isto:

"Perante a recusa do réu em assumir-se como bígamo, o juíz perguntou-lhe:- Quando teve o acidente que originou a sua detenção pelas autoridades, o senhor afirmou que ia a fugir de uma pessoa que o ameaçara de morte. Quem era essa pessoa ?
Respondeu o arguido:- Era a minha segunda sogra, senhor doutor! "

É claro que o prémio pecuniário (de 5$00?) foi para outro concorrente e, como consolação, vi esta parvoíce publicada na página das anedotas dessa semana (a crer no meu prémio, provavelmente muito pobre em anedotas).
Mas, se fosse hoje... se fosse hoje, meus amigos, o primeiro prémio era meu.
Bastava que os juízes da prova clicassem aqui e "vienga la pasta!". (não por ter inventado a anedota, mas por tê-la candidatado)

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Lembranças de gaja

Ela passou o primeiro dia empacotando todos os seus pertences em caixotes e malas. No segundo dia, chamou os homens da transportadora que levaram a mudança.

No terceiro dia, sentou-se pela última vez na mesa da sala de jantar, à luz de velas, pôs uma música suave e deliciou-se com uns camarões, um frasco de caviar e uma garrafa de champanhe.

Quando terminou, foi a cada um dos aposentos e colocou alguns pedaços de casca de camarão, besuntados com caviar, nas cavidades dos varais das cortinas. Depois limpou a cozinha e foi-se.

Quando o ex-marido retornou com a nova namorada, tudo estava um brinco nos primeiros dias. Depois, pouco a pouco, a casa começou a feder.
Eles tentaram de tudo: limpando, lavando e arejando a casa..
Todas as aberturas de ventilação foram verificadas à procura de possíveis ratos mortos e os tapetes foram limpos com vapor..
Desodorizantes de ambiente foram pendurados em todos os lugares..
A empresa de combate a insectos foi chamada para colocar gás em todas as canalizações, durante alguns dias, durante os quais tiverem de sair da casa, e no fim ainda tiveram de pagar para substituir a caríssima carpete de lã.

Nada funcionou.

As pessoas pararam de visitá-los.
Os funcionários das empresas de consertos recusavam-se a trabalhar na casa..
Então, como já não suportavam mais o fedor e mudaram dali, colocando a casa à venda

Um mês depois, apesar de terem reduzido o preço da casa em 50%, não conseguiram comprador para a casa fedorenta.
A notícia espalhou-se e nem mesmo corretores de imóveis locais retornavam as ligações.
Finalmente, eles tiveram de fazer um grande empréstimo do banco para comprar uma casa nova.

A ex-esposa ligou para o marido e perguntou como andavam as coisas.
Ele contou-lhe o martírio da casa podre.
Ela escutou pacientemente e, dizendo que sentia muitas saudades da casa antiga, manifestou disponibilidade a reduzir a parte que lhe caberia do acordo de separação dos bens em troca pela casa.

Sabendo que a ex-mulher não tinha ideia de como estava o fedor, ele concordou com um preço que era cerca de 1/10 do que valeria a casa, desde que ela assinasse os papéis naquele dia mesmo. Ela concordou e, em menos de uma hora, na presença dos respectivos advogados, formalizaram o negócio.

Uma semana depois, o homem e sua namorada assistiam, com um sorriso malicioso, os homens da mudança empacotando tudo para levar para a sua nova casa...

...incluindo os varais das cortinas.

(autoria desconhecida)

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Vontades

"Muito mais é o que nos une, que aquilo que nos separa" (Carlos Tê)

Estas palavras de um poema cantado por Rui Veloso, seriam, aparentemente, suficientes para desatar qualquer nó verificado nas negociações do OE/2011 entre o governo e o PSD.
Sem querer quebrar a promessa aqui feita há dez dias, hoje (a)posto Sam Cooke para traduzir um generalizado sentimento da esperança que se vai extinguindo à medida que nos vão chegando as notícias do (vergonhoso) momento político actual.

Fica a música a embalar as palavras que destaco.
A mensagem, essa fica - mesmo contrariando as palavras/título deste blogue - porque, às vezes, não é só o vento que muda. E é disso que este país precisa, dum "vendaval".

.


Then I go to my brother / And I say "brother, please"
But he just winds up, knocking me / Back down on my knees

Sometimes I thought I wouldn't last for long / But now I think I'm able to carry on
It's been a long, long time coming / But I know a change is gonna come
Oh yes it is.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

A mudança desejada

Será ingenuidade perguntar se a mudança do oeste pode ser para lá do do sol posto?

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Só, só, só mais um !!!

Normalmente, quando vejo o tosco do Hugo Almeida a jogar (ainda não consegui perceber porquê) como "ponta-de-lança" na selecção nacional de futebol, lembro-me sempre do tosco Vieira-EnaPá2000 nas suas experimentações para ter alguma graça neste desgraçado país.
Curiosamente(?), há pouco, depois de assistir ao anúncio da recandidatura de Aníbal Cavaco Silva à presidência da República, lembrei-me de como seria importante para a anarquia do actual momento político se o Manuel João Vieira também entrasse na corrida presidencial.


segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Tormentos cinquentões




Facilitando e em jeito de auto-convencimento, dizemos (para nós próprios) que morrer não custa.



O pior é o que dentro de nós vai perdendo vida...

domingo, 24 de outubro de 2010

Esta é minha





Dias felizes são quando um sonho se torna realidade.




É quando tudo é ainda mais lindo do que imaginado.


sábado, 23 de outubro de 2010

Nem Pilatos faria melhor

Depois de ler a recente entrevista de Cavaco Silva ao jornal Expresso fiquei triste com a situação que sua excelência diz ter chegado a República de que ele é presidente.
Triste, não só pelo estado geral da Nação (conforme aqui tenho opinado) mas muito mais triste porque o senhor PR não devia auto excluir-se da crise política para que (principalmente) os seus e os meus pares arrastaram o país.
Por isso, também lavei as mãos, agarrei-me a uma garrafa de sumo de trincadeira alentejana e afoguei tanta mágoa...
É neste estado de alma amargurada em álcool que escrevo a postagem de hoje.
Tão mal me sinto, que nem quero acreditar no que ouvi agora por aí, sobre (pareceu-me) o futuro do nosso presidente.
- Viv'ó Benfica, hic !!!

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Liberdades encravadas




Sai mais uma grade de água-das-pedras para as mesas do canto (esquerdo?), ou os Jerónimos senhores já se convenceram que "a Liberdade não tem dono, nem cor ou preço... a Liberdade tem alma e magia. Liberdade é o começo"? (adaptado de poema de Silvia Trevisani)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Vai de garra ?


Mesmo ausente, ser-se filho de Peniche é (também) isto:

B
oas tarde Zé,

Já há algum tempo que ando para te falar neste assunto.

É uma vergonha para o País em geral e para Peniche em particular que um porto marítimo com uma localização privilegiada onde não há um cais de acostagem para veleiros de passagem?

Parece anedota mas é verdade!

Não sei quem é o culpado ou o responsável pelo estado miserável a que chegou o cais de acostagem da Marina de Peniche, que há já alguns meses largos está inoperativo, com fitas de proibição de acostagem e a GNR a dizer aos recém chegados que dado o estado do dito cais têm que fundear ao largo ou ir para os cais de pesca!

Vê lá se consegues, de algum modo, despertar os crânios responsáveis para esta verdadeira tristeza.

Um abraço.


(mensagem recebida há minutos de um rapaz da nossa idade, marinheiro, navegador e, principalmente, "filho da terra")

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Um dia de sol





Um belo dia para esquecer amarguras e lembrar doçuras (mesmo que empacotadas).

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Merda III

A intenção é fazer desta postagem a minha última referência ao Orçamento de Estado/2011 em debate na Assembleia da República e, acho eu, que será o último folgo de Portugal antes da vinda dos cobradores do fraque.
Por isso, outra vez, o titulo ser daqueles em bom português (quando se percebe tudo, logo na primeira sílaba).
Para a blogoposteridade, o CerrodoCão assume-se aqui como português descrente nos sistemas adoptados pelo actual regime para a gestão económico-financeira de um Estado cada vez menos controlado e independente.
Para além das minhas obrigações de cidadão-contribuinte, mais uma vez, vou ter de honrar o meu aval a uma administração que, não sendo única culpada, teve o demérito de não resistir ao renascimento do corporativismo, e de, à sua volta, deixar que a incompetência, o laxismo, o devaneio e a corrupção permaneçam incólumes desde que "a bem da nação".
Vou pagar porque sou honrado e, felizmente, não tenho alternativa. Também solidário, mas muito céptico, vou fazê-lo por ter a noção de que é preferível comer à portuguesa duas sardinhas de conserva, do que comer dois pares de salsichas alemãs.
É que, nestas coisas de cheiros, a merda dos outros cheira sempre pior...

domingo, 17 de outubro de 2010

Abri a janela

... e não é que tinha uma "caravela" no meu quintal?
(Foto Fua)

sábado, 16 de outubro de 2010

Mr. Catra - o não playboy preto

Se o governo tivesse cumprido o prazo de entrega, o Orçamento de Estado para 2011 seria a minha postagem de sábado.
Não se sabendo, a esta hora, onde é que para o O.E., e dado que já tinha espaço reservado no bloque para uma postagem de leitura longa, em alternativa, aqui deixo um documentário sobre a história de vida de Mr. Catra.
Um retrato nu e cru de certo tipo de figurão macho do funk brasileiro
(neste caso), "homem de muitas mulheres, mas das mesmas muitas mulheres" pai assumido de mais de 20 filhos, para quem "o homem é responsável por toda a mulher que ele pega e machista é botar a mulher pra trabalhar, pra querer que ela seja independente".
Em suma, um estilo de pessoa que a gente sabe existir por aí, mas com quem dispensamos cruzar na (nossa) vida. Tá ligado ?

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Os reis lobbies

À primeira vista fiquei revoltado com a desfaçatez deste encontro entre banqueiros e o líder do PPD/PSD Pedro Passos Coelho.
Depois, de repente, lembrei-me do Natal: do nascimento do salvador, dos animais e seus pastores e, especialmente, dos reis magos.
Coisa linda! Encaixa perfeitamente na situação política que o país atravessa:
- Passos Coelho anda por aí insinuando-se como o putativo salvador da pátria, irredutibilidade aparente mas que merece a benção dos pastores do espectro político nacional, e os banqueiros, cumprindo a sua real vocação de magos, só têm que ir adorar o menino levando-lhe as suas oferendas, ou melhor dizendo - em vocabulário actual - garantindo-lhe a continuidade do sistema de nomeações para administrações, a fidelidade às bonificações por simpatia, o risco fino na avaliação de negócios familiares, colaboração para resolver(?) os casos BPN e BPP, enfim ... mais ou menos do mesmo.
Pena que os reis magos fossem três e os banqueiros quatro... é que assim a novela não encaixa bem no Natal.
Mas talvez não faça mal. Neste país sem rei nem roque, mais um rei - ainda que mago - não faz grande diferença, prometa ele ouro, mirra ou incenso e que, depois, nos calhe a fava!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Capital do Surf (2)

Kelly Slater foi quem melhor percebeu as ondas do mar de Peniche.
Por isso, dizem os entendidos, foi o justo vencedor do Rip Curl Pro Portugal 2010.
Parabéns ao campeão e, também, à organização, aos competidores e, naturalmente, a Peniche e ao seu surf que vão continuar na ONDA.
Valha-nos isso!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Foi-se o tabu

A poucas horas da conclusão da bem sucedida operação de resgate dos mineiros chilenos, o satélite do CerrodoCão descobriu o segredo que o PPD/PSD/Pedro Passos Coelho têm (tinham) guardado para tirar o país do buraco financeiro.



terça-feira, 12 de outubro de 2010

Negócios da China

Devolvemos-lhes Macau sem qualquer exigência ou contrapartida, abrimos-lhes as nossas fronteiras, facilitámos a sua instalação por esse país fora, deixámos que abrissem comércio por todo o lado enquanto nos tornávamos em seus fieis consumidores.
Foi assim "eulo a eulo que a galinha encheu o papo" - dando razão, finalmente, ao compatriota Confúcio quando aconselhava: "não importa quão devagar você vá, desde que não pare".
Entretanto, como para eles tudo é negócio, parece que querem comprar-nos a dívida.
Parece; porque, quando consultarem o oráculo de Confúcio, o negócio pode recuar. É que, o grande filósofo deixou escrito: "de nada vale tentar ajudar aqueles que não se ajudam a si mesmos"...


segunda-feira, 11 de outubro de 2010

... e toma!



Mesmo sem assistir aos programas inclinados que a SIC-Notícias transmite, ou que insensível às profecias da desgraça do professor Medina Carreira, a malta não anda nada (mesmo nada) satisfeita com o estado da Nação.
Por isso não admira que proliferem os abaixo-assinados e as petições para mandar abaixo.
Para além dos mails a toda a hora sobre o imbatível José Sócrates, o MIBA (Movimento Internautico do Bota Abaixo) elegeu, recentemente, um novo objectivo: neste caso simbolizado pela conhecida figura do "zé povinho".
Para assinar e colaborar é só clicar na imagem.
(e preencher, claro!)

domingo, 10 de outubro de 2010

Comer, Orar e Amar

Quem já leu o manual de instruções da felicidade feminina escrito por Elizabeth Gilbert, arrisca uma (na minha opinião, tremenda) nova decepção.
Quem resistiu ao marketing editorial e ao passa-palavra das amigas mal casadas e/ou donas de casa desesperadas, até que pode ir tentar perceber porque motivo os dois grandes e laureados actores - Julia Roberts e Javier Barden - se dispuseram a tão fracas personagens neste filme tão off, que, não fossem as pipoqueiras e os chupadores de coca-cola (desta vez semi-perdoados), mais parece uma daqueles telenovelas realizadas à volta dos argumentos made in Moita Flores.
Experimentar, neste caso, até custa (5,50€).

sábado, 9 de outubro de 2010

Determino e mando publicar








O poder da qualidade justificativa da quantidade qualitativa...

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Haja fé





Fica no Douro Vinhateiro, daqui até lá são 375 Km.



Mas, se calhar, vale a pena a peregrinação.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Capital do Surf



Pelo menos, entre hoje e dia 18, Peniche é a capital da onda.

Por isso, como diz a canção: "Ladies and gentlemen... let's go surfing!"

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Sinal dos tempos


Ontem, no cumprimento muito próprio da minha (enviezada) maneira de ser católico, assisti a uma homilia tão infelizmente fácil de pregar, como infelizmente fácil de concordar - tais são os males que nos afligem - orientada para o despertar dos presentes e a sua participação efectiva na vida da sua comunidade, concluída com uma das mais belas orações da minha Igreja da autoria de Francisco Assis (o santo, não o deputado socialista):

"Senhor,

Faz-me instrumento da tua paz.

Onde houver ódio, que eu leve o amor;

Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;

Onde houver discórdia, que eu leve a união;

Onde houver duvida, que leve a fé;

Onde houver erro, que eu leve a verdade;

Onde houver desespero, que eu leve a esperança;

Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;

Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre,

Faz que procure mais consolar, que ser consolado;

compreender que ser compreendido;

amar, que ser amado.

Pois é dando que se recebe,

é perdoando que se é perdoado,

e é morrendo que se vive para a vida eterna."


Não é só uma questão de Fé, pois não?

domingo, 3 de outubro de 2010

Brejeirices de domingo

Dá trabalho, mas tem dias que compensa !

sábado, 2 de outubro de 2010

(inim)Putarias da testosterona






Sabida que é a necessidade que muitos políticos têm de falar ao espelho, torna-se fácil desdramatizar esta acusação do porta voz dos deputados PSD na AR.
Tenho para mim que, muito do que se diz sobre o primeiro-ministro, advém do cargo que ocupa.
Porque, no fundo, bem lá no fundo, ele é um simples mortal - por isso sujeito à irreversibilidade das leis da natureza.
Só isso, apenas e só (como diria M. Évora).

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

L' esprit de Sarkozy



Já lá vai o tempo em que fumar era sinónimo de charme e glamour. Ricos, pobres, homens ou mulheres, todos fumavam.

Um dia a lei saiu à rua e disse: fumar não é preciso!


Hoje, proscrito fumador, ainda tenho de cor aquele cheiro forte deste cigarro aceso.